Informações sobre a Citação

Br.J. Sports Med. 41:492-496. Available: www.gssiweb.org

Ibuprofeno não afeta concentração de eletrólitos séricos após corrida de ultradistância.

Dumke CL, Nieman DC, Oley K and Lind RH

RESUMO
OBJETIVO:

Determinar os efeitos do ibuprofeno sobre a concentração de eletrólitos séricos após corrida de 160 km.

MÉTODOS

MÉTODOS: Vinte e nove sujeitos (idade média (DP) 47,9 (7,4) anos) ingeriram 600 mg de ibuprofeno no dia anterior a uma corrida competitiva de 160 km, e 1200 mg de ibuprofeno durante a corrida (aproximadamente a cada 4 horas, em doses de 200 mg). Vinte e cinco sujeitos controle (idade média (DP) 46,8 (10,3) anos) evitaram a ingestão de ibuprofeno antes ou durante a corrida. Foi coletado sangue no dia anterior, e imediatamente após a corrida. Os perfis bioquímicos séricos foram analisados por um laboratório de análises clínicas. Efeitos significativos de tratamento e tempo foram determinados com modelo linear geral com medidas repetidas.

RESULTADOS

RESULTADOS: Os sujeitos nos dos grupos não diferiam em termos de idade, volume de treinamento, experiência em corridas, índice de massa corporal, gordura corporal, ou tempo para término (25,8 (3,3) vs 25,6 (3,9) h). O peso corporal não mudou de forma significativa durante a corrida (medido antes, no meio da corrida (90 km), e depois). A ingestão de ibuprofeno não afetou de forma significativa qualquer um dos marcadores séricos, incluindo creatina quinase (p = 0,16). Foi observada redução significativa em sódio (p = 0,006), potássio (p = 0,001), cloreto (p<0,001), cálcio (p<0,001), albumina (p<0,001) e globulina (p<0,001) séricos após a corrida. Foram observados aumentos em creatina quinase (p<0,001), creatinina (p<0,001), nitrogênio no sangue e na urina (p<0,001), ácido úrico (p<0,001) e glicose (p<0,001) como resultado da corrida.

CONCLUSÕES

CONCLUSÕES: Esses dados sugerem que o ibuprofeno, um inibidor inespecífico de ciclo-oxigenase, não altera a concentração eletrolítica sérica durante corrida de ultradistância. No entanto, o estresse da corrida ultradistância parece estar relacionado a alterações significativas em determinados marcadores séricos.